quarta-feira, 2 de março de 2011

DESCE O BARCO SOBRE O RIO

Foto: João Severino

Desde o barco sobre a água,
Entre xistos e grauvaques.
Tentando esquecer a mágoa,
De tão tristes ataques.

De Penacova partiu,
E quer passar no Caneiro.
Vai para Coimbra, já se viu.
Que prazer, não há dinheiro!

Amanhã é outra história,
Cai cimento sobre o rio.
E uma parede sem memória,
Acabará com o desafio.

Pára o barco sobre o rio,
Já não segue seu caminho.
E o Mondego, em arrepio,
Morre mais um bocadinho.

(Versos escritos ao balcão, tentando remar em contra-mão)

11 comentários:

relogio.de.corda disse...

Um blogue cheio de humor e boa disposição.Gostei.

Anónimo disse...

Curioso....
Um tema que devia suscitar uma discussão acérrima, sobre quem defende ou quem se manifesta contra a construção de uma obra que vai destruir o Rio Mondego, e quase toda a capacidade turística do Município, esteja sem comentários, mesmo dois dias após a publicação.

Anónimo disse...

hó anónimo das 11:21...
acho que é dos poucos que ainda não percebeu...estamos todos no mesmo 'barco'...não á construção!...e ponto final.

Anónimo disse...

o anónimo das 11.21 é um da foto do caneiro, por isso é que ainda não percebeu. Eu tambem nao me importo de ir fazer uma manif ao Caneiro. Não me peçam é para aparecer numa fotografia junto a pessoas que tanto mal fizeram ao Mondego.

Jorge Neves disse...

Não concordo com a frase " estamos todos no mesmo barco" e vou explicar porque:
Conheço várias pessoas do Partido Socialista que são contra a mini-hidrica, mas que como o seu "DEUS" Sócrates e outros iluminados do PS de Penacova dizem amem ao seu "Deus" começam a dizer asneiras e falam nos açudes e outros afins.

Anónimo disse...

olha, mais um que andou desaparecido durante décadas e agora vem para Penacova com a mania que descobriu a pólvora.
Onde estaria este independente quando fizeram o açude na sua freguesia? andava distraído era?

Anónimo disse...

Comparam alhos com bugalhos e dá nisto. Não falem mais nessas porcarias. Foram os gajos da ARH, por ordem do vosso governo que fizeram tudo isso. E agora continuam a ser os mesmos que querem construir a mini-hídrica.
Querem não, já só falta começar!
E as pessoas que estiveram no Caneiro, não fizeram mal ao rio.
Ah, e há muitos mais que andaram desaparecidos de Penacova, a viver em habitações sociais em outras terras e agora julgam-se os maiores. É só peneiras...

Anónimo disse...

Não fizeram mal ao rio? não. Só fizeram bem. E outros que andaram a "roubar" e a "explorar" o preto de África e vieram para cá armados em intelectuais e inteligentes?
Esses têm o quê? serão peneiras?

Anónimo disse...

Para o anónimo das 12.06, vulgo A. C.: A sua vontade em falar (talvez mandatado por um mendicante sectário) sabendo o que outros sabem sobre a sua pessoa ainda vai trazer grandes dissabores ao PSD local e a si mais propriamente. Depois não diga que não foi avisado.

Ass. Um amigo seu do partido.

Jorge Neves disse...

CARO ANÓNIMO DE 5 de Março de 2011 22:23:
Quando construiram o açude não da minha freguesia porque não sou recenseado em Lorvão, não morava no concelho de Penacova.

Anónimo disse...

Incrivel como o recenseamento serve para umas coisas e outras não. Olhe, na altura em que não morava no Concelho já existia o Rio Mondego. Mas já sei, nesse tempo só o preocupava o Mondego, das Torres para baixo.
Mas afinal você é natural do Concelho ou não?

Related Posts with Thumbnails